Brasil

Bolsonaro é um entrave no combate ao coronavírus e para o país

PSOL Pelotas
Escrito por PSOL Pelotas

A deputada federal do PSOL Fernanda Melchionna têm dito que Bolsonaro é um entrave para o país, nada mais assertivo do que essa afirmação. Bolsonaro, figura antiga na política brasileira, militar reformado do Exército, foi deputado federal pelo Estado do Rio de Janeiro por vinte e sete anos. Foram quase três décadas de desserviço para a população brasileira, com incontáveis e insuportáveis discursos de ódio contra as mulheres, as negras e negros, as LGBTQI+, os povos originários, as funcionárias e funcionários públicos, a população das periferias, a própria democracia, vejam só! Um parlamentar, democraticamente eleito, que odeia não só a população que deveria representar, como também a própria democracia que o permite estar onde está hoje.

Fato é que, mesmo após as mulheres brasileiras espalharem pelas ruas, corpos e mentes de todo o país o #EleNão, essa figura desprezível chegou ao cargo de presidente da república, um episódio dramático do qual muito já se refletiu e discutiu e ainda há muito o que se entender. Bolsonaro, em pouco mais de um ano de governo, deixou um rastro de destruição por onde pode, com a sua política burguesa ultraliberal e genocida.

E, embora Bolsonaro não admita, é também um fato, que estamos vivenciando um momento extremamente crítico da história mundial e o Brasil não está fora desse cenário. A pandemia do coronavírus se alastrou pelo mundo em grande velocidade. Até o momento em que este texto foi escrito, matou cerca de 128 mil pessoas em diversas nações, no Brasil são mais de 25 mil pessoas infectadas e 1.557 mortes, dados estes que estão subnotificados, dada a política desastrosa de combate a pandemia, que vem sendo adotada pelo governo federal.

A principal medida de prevenção contra a doença, o isolamento social, é motivo de deboche por parte do presidente Bolsonaro, que também odeia a ciência, não coube afirmar isso lá no primeiro parágrafo (é que a lista de ódios do execrável é longa). É gravíssimo que, em meio a maior crise sanitária e social do século, tenhamos um presidente que contrarie todas as evidências científicas, colocando vidas em risco não só através da falta de políticas públicas sérias, mas também através de fake news que mantém uma grande parcela da população alienada da realidade da situação que vivenciamos, motivando o descumprimento das medidas de segurança recomendadas pelas organizações de saúde e episódios absurdos de violência contra os profissionais que estão na linha de frente de combate ao vírus. Bolsonaro, com sua política econômica ultraliberal, também segue trabalhando para massacrar a população brasileira, a maior parte dela, no caso, pois os banqueiros e mega empresários seguem bem cuidados pelo estado brasileiro, com seus bolsos sempre cheios de dinheiro e seus interesses preservados, através de bilhões de reais já destinados pelo governo federal via Banco Central e BNDS, enquanto oferece ínfimos 200 reais para a população mais necessitada, que só depois de muita pressão social e luta na Câmara Federal, passou para os atuais 600 reais, valor esse que ainda é baixo e, inclusive, está demorando demais para ser pago.

Na contramão do que as experiências dos outros países confirmam, Bolsonaro insiste que a população deve voltar a circular normalmente pelas ruas, afinal é preciso trabalhar. Isso porque o governo não está disposto a dar o suporte necessário para que as pessoas fiquem em casa. Pois ao invés de adotar todas as medidas de preservação de emprego e renda que o grave momento exige, para garantir a sobrevivência das famílias, segue atuando na política de corte de direitos trabalhistas, como a inconcebível MP da carteira verde e amarela, preservando os privilégios dos mais ricos e jogando a população pobre e trabalhadora no abismo da fome e da miséria.

Ao invés de investir no Sistema Único de Saúde, para que este esteja devidamente equipado e preparado para tratar a população, com profissionais em segurança física, mental e econômica, aposta em soluções mágicas sem nenhuma comprovação científica e mantém a política de contenção de ‘gastos’, levando milhares de brasileiras e brasileiros a morte.

Nós não podemos mais aguentar tantos crimes e mentiras, estamos a caminho de uma grande catástrofe nas mãos de Bolsonaro e sua gangue de ultradireitistas. O país precisa é de muito trabalho sério e comprometido com os interesses da maioria da população. É urgente que se pague uma renda básica digna para todas aquelas e aqueles que necessitam neste momento, que a população pobre seja isenta das cobranças de água e luz enquanto for preciso e que tenha acesso gratuito a itens de higiene para que possa se proteger. Precisamos de políticas públicas que garantam a sobrevivência da população de rua que é enorme nesse país de desigualdades. Os povos originários devem ser protegidos pelo estado, através de planos construídos para as suas realidades. O direito à vida das mulheres deve ser garantido, com medidas de proteção à violência contra a mulher específicas para o cenário de pandemia. Precisamos revogar imediatamente a EC 95 – do teto de gastos e o SUS deve receber todo o investimento que for preciso para que a vida de todas e todos seja preservada, com atenção especial às trabalhadoras e trabalhadores da saúde, que estão na linha de frente de combate ao vírus e precisam de EPIs, salários dignos e descanso. Já passou da hora de taxarmos as grandes fortunas nesse nosso país tão desigual, essa medida poderia injetar bilhões de reais aos cofres públicos, que seriam revertidos em garantia de sobrevivência e vida dignas para o povo.

Bolsonaro é um entrave para o país e para o combate ao vírus, um criminoso que se mantém no poder preservando os interesses da burguesia, alimentando e compartilhando fake news por todos lados, cometendo ilegalidades a seu bel prazer e expondo toda a população brasileira ao risco de morte. É urgente que seja arrancado da presidência, pois somente dessa forma, será possível trabalhar de maneira séria e responsável no combate ao coronavírus, na preservação da vida e da renda da população, e na sobrevivência do estado democrático brasileiro.

Fora Bolsonaro! Impeachment já!

Mariele Afonso Domingues é cientista social, educadora e militante do MES | PSOL.

Sobre a autoria

PSOL Pelotas

PSOL Pelotas

Comente